Notícias

Abertas inscrições para 1º Fórum de Inteligência e Segurança Prisional do Tocantins

13/09/2017 - Tom Lima/Governo do Tocantins

O Sistema Penitenciário e Prisional, vinculado à Secretaria de Estado da Cidadania e Justiça (Seciju), realizará no próximo dia 27 de setembro o 1º Fórum de Inteligência e Segurança Prisional do Tocantins, reunindo em um mesmo espaço de discussão integrantes da atividade de inteligência a nível estadual e nacional em meio a palestras e mesas-redondas, inclusive com representantes do Departamento Penitenciário Nacional (Depen), do Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP). 

As inscrições para participantes, inclusive acadêmicos interessados, podem ser feitas por meio do site da Seciju, bastando clicar no banner relativo ao evento, que dá acesso ao formulário de inscrição ou pelo link http://inscricao.cidadaniaejustica.to.gov.br/inscricao-eventos-seciju/. A abertura do evento será às 19 horas, no auditório da Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Tocantins (OAB-TO), em Palmas. As vagas são limitadas e as inscrições submetidas à análise.

Durante o fórum, os palestrantes farão uma reflexão sobre o fenômeno das organizações criminosas que atuam no sistema carcerário nacional e também no Tocantins, bem como o trabalho da inteligência no controle a grupos organizados e a relação com a segurança interna das unidades prisionais e externa, no que diz respeito à população.

De acordo com o superintendente do Sistema Penitenciário Prisional do Tocantins, Renato Mendes Arantes, um dos princípios doutrinários da atividade de inteligência é a interação. “Esse princípio visa estabelecer ou adensar as relações sistêmicas de cooperação, para otimizar esforços entres as agências de inteligência”, explicou.

Renato Mendes conta que, no Tocantins, existe essa relação entre os órgãos que possuem o segmento dessa atividade na troca de dados e informações de forma responsável e segura. “Isso nos possibilita uma melhor estratégia no enfrentamento ao crime organizado atuante, não somente em nosso Estado, mas em todo o país”, completou, reforçando que o fórum tem como umas das propostas esse princípio doutrinário, que é a interação das agências por meio de conhecimentos compartilhados.

O fórum reunirá também servidores da administração penitenciária e membros do Poder Judiciário, do Ministério Público Estadual (MPE), da Defensoria Pública Estadual (DPE) e demais pessoas que atuam na Execução Penal no Estado.

Compartilhe esta notícia