Notícias

Governo debate política de Assistência Social em Palmeirópolis

19/05/2017 - Lara Cavalcante/Governo do Tocantins

Crianças vulneráveis que encontram proteção e oportunidade na música; idosos que abandonaram a solidão e a ociosidade em um centro de convivência. A política de Assistência Social como acontece na prática foi apresentada e debatida durante a 8ª Conferência de Assistência Social no município de Palmeirópolis, a 458 km de Palmas, nesta sexta-feira, 19.

Antes das palestras e debates fundamentais ao processo de construção da política de Assistência Social, o público presente na Conferência se emocionou com as apresentações culturais do projeto social Corrente do Bem que ensina música às crianças em risco social como forma de fortalecer os seus vínculos com a família e a comunidade.

Já os idosos do município empolgaram os presentes com muito movimento e animação, comprovando que muitos direitos sociais já têm sido conquistados e precisam ser preservados.

Este ano, a Assistência Social realiza sua 8ª conferência com o tema Garantia de Direito no Fortalecimento do Sistema Único de Assistência Social (Suas). Segundo a gestora da Secretaria de Estado do Trabalho e da Assistência Social (Setas), Patrícia do Amaral, o principal objetivo do evento é despertar a comunidade para a importância da política de assistência. “Nesse espaço, podemos visualizar o que já conquistamos e juntos debater o que precisamos manter. Queremos construir um documento forte para garantir nossos direitos”, declarou.

Para o prefeito de Palmeirópolis, Fábio Vaz, a Assistência Social é a sua principal meta de governo. “Escolhemos governar para os vulneráveis e todos os resultados que já obtivemos até aqui foram com eles e para eles”, defendeu.

A secretária municipal de Assistência Social de Palmeirópolis, Ana Paula Vaz, lembrou as dificuldades do início da gestão e ressaltou o papel fundamental da intersetorialidade para as conquistas que sua equipe comemora hoje. “Pegamos a assistência social totalmente desestruturada, mas, hoje, temos resultados a apresentar graças ao apoio dos técnicos da Setas e ao envolvimento de cada área do município”, defendeu.

Conferências

Na etapa municipal das Conferências, cada localidade deve sugerir dez ações para serem desenvolvidas pelo Município, seis pelo Estado e quatro pela União. No evento, também devem ser eleitos quatro delegados, dois do governo e dois da sociedade civil, para representarem o município na Conferência Estadual que acontecem em Palmas no mês de outubro.

Os delegados municipais apresentarão e defenderão suas propostas na etapa estadual e, após aprovação, essas propostas serão levadas para a Conferência Nacional que ocorrerá em Brasília, no mês de dezembro.  

Todos os municípios tocantinenses devem realizar a Conferência Municipal de Assistência Social até o dia 31 de julho.

Compartilhe esta notícia