Notícias

Tocantins é referência em atendimento de odontologia hospitalar

14/11/2017 - Jesuino Santana Jr/Governo do Tocantins

O trabalho desenvolvido, pelos cirurgiões-dentistas da equipe multiprofissional de atendimento aos pacientes internados nas unidades hospitalares da rede pública de Saúde do Tocantins, se tornou referência no Estado. Os atendimentos têm contribuído para diminuir o risco de infecção, o tempo de internação e a quantidade de prescrição de medicamentos, além de melhorar a qualidade de vida e promover um atendimento completo aos pacientes.

“No quadro do Estado, nós temos cerca de 400 profissionais atuando na área de odontologia. Desses servidores, mais da metade estão lotados nos hospitais públicos do Estado e os demais estão cedidos para os municípios, atuando nas UBS [Unidades Básicas de Saúde], ou trabalhando na parte de gestão administrativa”, contou a cirurgiã-dentista que atua no setor de Média e Alta Complexidade da Secretaria de Estado da Saúde (SES), Andreza Correia da Silveira.

A servidora afirmou que todos os hospitais da rede pública de saúde do Estado são contemplados com os serviços de odontologia hospitalar. “Nós temos, na nossa rede, hospitais de porte 1, 2 e 3. Quanto maior esse número, maior será a complexidade do tipo de atendimento. Nesses locais, o trabalho dos cirurgiões-dentistas é orientar os pacientes que estão internados, em regime de internação ou de ambulatório, que são aqueles que passam por algum procedimento e saem no mesmo dia”, explicou.

Andreza Correia disse também que os hospitais de porte 2 e 3 oferecem serviços mais complexos na área de odontologia aos pacientes. “Tem o atendimento que é oferecido para pessoas que possuem necessidade especial; para os pacientes que estão na UTI [Unidade de Terapia Intensiva] e nos setores de Oncologia, onde os pacientes só iniciam o tratamento após passar pela avaliação de um cirurgião-dentista; e aos portadores de fenda palatina”, complementou.

UTI

O Hospital Geral de Palmas (HGP) é também reconhecido como referência pela assistência em odontologia que oferece, aos pacientes, que estão internados na UTI. “Após ser encaminhado para a UTI, o paciente é atendido por uma equipe de cirurgiões-dentistas que realizam uma consulta odontológica nele, evitando a formação e proliferação de bactérias que podem cair na sua corrente sanguínea e levá-lo, inclusive, à morte”, observou a responsável pelo Setor de Odontologia da UTI do HGP, Cléria Rezende.

“O paciente que está em tratamento de Terapia Intensiva tem a flora bacteriana alterada nas primeiras 72 horas. A nossa boca é úmida, tem estruturas duras e, por isso, o desenvolvimento de bactérias é muito intenso. Com a higienização que realizamos, nós removemos essas bactérias, prevenindo que o paciente venha broncoaspirá-las da cavidade bucal para o pulmão, podendo levá-lo a ter uma pneumonia”, concluiu Cléria Rezende.

Resultados

Durante a produção da reportagem, nós conversamos com familiares de duas crianças que estão internadas na UTI Pediátrica do HGP. Por meio dos relatos, é possível perceber a satisfação e os resultados provenientes do trabalho realizado pela equipe multidisciplinar do hospital, dentre eles os profissionais da área de odontologia.

“Meu filho faz tratamento aqui no HGP, porque nasceu com uma má-formação no ânus. Ele passou por uma cirurgia recentemente, está internado aqui há quatro dias, e eu tenho certeza de que o trabalho realizado pelas dentistas aqui foi essencial para o avanço do quadro de melhora dele. Quero ressaltar também o cuidado e o carinho que eles tiveram com ele”, comentou a mãe do pequeno J.G.L.S., Ana Meire Pereira Luz.

“Nós moramos em Araguaína e tivemos que trazer o meu neto para Palmas numa UTI aérea, já que ele havia sofrido queimadura em grande parte do corpo. O avô estava cozinhando milho no fogão e saiu para atender ao telefone. Durante esse tempo, o neném virou a panela com água fervente por cima do próprio corpo. Graças a Deus e ao trabalho dos profissionais aqui do HGP, ele está se recuperando bem e já vai receber alta”, relatou de forma emocionada a avó do D.S.S., de 1 ano e 4 meses, Iranete Barroso da Silva.

Para o titular da Secretaria de Estado da Saúde, Marcos Musafir, casos como esses relatados acima são comoventes, simbólicos e motivadores para que a equipe dos hospitais públicos da rede estadual continuem oferecendo um serviço padrão, de qualidade e humanizado para os pacientes. “Nossa preocupação está em proporcionar um atendimento que atenda aos anseios da população e siga as normas médicas e legais. E em relação a isso, o trabalho realizado pelos cirurgiões-dentistas faz uma grande diferença, tanto em termo da melhoria da saúde dos pacientes quanto em relação à gestão”, concluiu.

Compartilhe esta notícia